{ reflexão semanal }

Newsletter nº29 / 2020

Três Sinais de Autoridade em Negócios

por Rick Boxx

Marc Belton, ex executivo da companhia de alimentos General Mills, em uma entrevista falou acerca do que chamou de os “três P’s” que indicam status em negócios: Prémio, Privilégio e Poder. As suas observações foram bastante criteriosas; pude me identificar com grande parte do que ele disse. Gostaria de resumir os seus três pontos, começando com Prémio – aqueles benefícios extras recebidos devido à posição ocupada e realizações.

Quando trabalhei em um banco quando era jovem, apresentei um pedido de empréstimo de um clube de campo para a nossa comissão de empréstimos. O CEO do banco ficou tão entusiasmado por eu estar a trazer para o banco novos negócios que anunciou a todos os presentes na sala que o banco me compraria um título daquele clube de campo! A inveja, porém, se espalhou por todo o banco. Logo em seguida, alguns de meus superiores adquiriram títulos do clube de campo para si mesmos e o meu “prémio” original foi significativamente modificado para torná-lo menos atraente. Eu decidi deixar passar aquela “oportunidade”.

Uma passagem na Bíblia, Gálatas 5:26, alerta: “Não sejamos presunçosos, provocando uns aos outros e tendo inveja uns dos outros.” Como empregadores, devemos ser cuidadosos acerca dos “prémios ” que oferecemos a certos empregados. Seja ou não a nossa intenção, tais prémios podem provocar inveja e conflito dentro da equipa.

Outro ponto que Belton apontou foi que, à medida que os líderes sobem de posição dentro da organização, os seus cargos lhes permitem maiores Privilégios. Estes podem assumir a forma de maior liberdade na forma como administram o seu tempo, poder dispor de carros da companhia ou receber convites exclusivos para reuniões com líderes influentes.

Esses privilégios podem permitir que o orgulho venha à tona nos indivíduos que os recebem, o que pode montar o cenário para que falhas morais ou éticas ocorram. Por exemplo, eles podem se determinar a fazer o que for necessário para reter e aumentar tais privilégios. Além do mais, o que se torna “normal” para alguém que desfruta de privilégios, pode ser visto como desperdício ou extravagância desnecessária pelos demais.

A Bíblia ensina: “Quando vem o orgulho, chega a desgraça, mas a sabedoria está com os humildes.” (Provérbios 11:2). O ganho adicional de privilégios como recompensa por se trabalhar com afinco é admirável, mas precisamos estar atentos para que o orgulho do privilégio ganho não nos leve à desonra.

O terceiro ponto de Belton referia-se ao Poder. Os usos e abusos do poder manifestam-se de diversas maneiras, mas ele citou como exemplo o fato de os sindicatos trabalhistas estarem em declínio há vários anos. Muitos acreditam que um dos fatores que contribuíram para isso foi o uso e abuso do poder feito por parte dos líderes e representantes dos sindicatos.

Há uns anos atrás um amigo compareceu em uma reunião de sindicato, com a expectativa de ouvir e quem sabe participar de uma discussão acerca de uma greve no trabalho. Um membro do sindicato levantou-se para protestar contra a greve. Entretanto, antes que ele pudesse pronunciar mais do que umas poucas palavras, dois homens fortes imediatamente escoltaram o dissidente para fora do recinto. Aquela ação deixou claro que não haveria mais nenhuma “discussão”.

Outra passagem das Escrituras diz respeito a esse tipo de comportamento nos negócios: “Temer o Senhor é odiar o mal; odeio o orgulho e a arrogância, o mau comportamento e o falar perverso.” (Provérbios 8:13).O sucesso nos negócios geralmente traz com ele a oportunidade de um aumento de poder. Esse poder pode ser usado de muitos modos benéficos, mas também pode ser mal direcionado. Devemos estar atentos para essa tentação e não permitir que o poder nos leve ao orgulho e à arrogância.

Partilha esta Reflexão

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email
“Não sejamos presunçosos, provocando uns aos outros e tendo inveja uns dos outros.” Gálatas 5:26

Reflexões da Semana é um serviço da ASPEC – Associação de Profissionais e Empresários Cristãos, em colaboração com “CBMC International”. Para mais informações não hesite em contactar-nos.