{ reflexão semanal }

Newsletter nº23 / 2020

Escolher Calma e Quietude num Mundo Irritado e Barulhento

por Rick Boxx

Foram convidadas três pessoas para debater um tópico emocionante num programa de entrevistas. A discussão entre dois dos convidados e o entrevistador tornou-se tão intensa que eles começaram a gritar um com o outro. (Sei bem que, actualmente, isso já é quase um comportamento padrão na comunicação social, mas quero realçar o que aconteceu a seguir.)

Finalmente, depois de a gritaria se ter prolongado por vários minutos, o entrevistador interrompeu o conflito, perguntando à terceira convidada, que estivera em silêncio até então, qual era a sua opinião. As suas palavras mansas e ponderadas trouxeram, repentinamente, ordem ao caos. E, não só isso, mas também a sua conduta a fez parecer mais credível do que os outros, com a sua gritaria estridente.

No nosso mundo actual, em que nos chega barulho de todas as direcções, alguns decidiram que quem gritar mais alto ganha. É uma nova abordagem ao ditado popular: «Quem não chora não mama.» Mas, na realidade, uma abordagem calma e serena à comunicação ainda é a mais eficiente e, na maioria das vezes, a que causa maior impacto.

Isto não é, de modo algum, uma revelação nova. A Bíblia, que alguns consideram ser o melhor livro sobre práticas profissionais e empresariais, tem muito a dizer sobre as forças, fraquezas e armadilhas da palavra falada. Por exemplo, Provérbios 15:1 diz: «A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.» Outra passagem diz: «O coração do sábio instrui a sua boca, e acrescenta doutrina aos seus lábios.» (Provérbios 16:23).

Tais admoestações não se limitam aos programas de entrevistas da televisão ou da rádio. Há alguns anos, reuniram-se alguns decisores políticos numa grande cidade, para discutir a possibilidade de apresentar uma proposta para receber os Jogos Olímpicos de Verão. A discussão tornou-se negativa, com a maioria dos participantes a focar-se nos potenciais problemas que organizar um evento daquela magnitude poderia causar.

Depois de o debate se ter prolongado por mais de duas horas, o líder da reunião voltou-se para um dos mais novos membros do grupo. Este indivíduo ainda não tinha apresentado quaisquer comentários, pelo que o moderador perguntou: «Ted, tu ainda não disseste nada. Qual é a tua opinião?» Com os restantes sentados em silêncio e expectativa, ele, calma e serenamente, respondeu: «Não havendo bois, o celeiro fica limpo.»

Tinham passado só dois ou três minutos, mas pareceram horas, enquanto toda a gente ponderava naquilo que o Ted acabara de dizer. De repente, alguém disse, com entusiasmo: «Sabem que mais? Ele tem razão!» E, a partir daquele ponto, a conversa tomou outro rumo. O Ted não lhes disse que a frase era uma citação da Bíblia, de Provérbios 14:4, mas o significado tinha ficado claro: «Sem esforço, nada se consegue.» Ou, em termos mais adequados ao ambiente de trabalho: para fazermos alguma coisa importante, precisamos de estar dispostos a enfrentar desafios inevitáveis.

As Escrituras dizem-nos que, para Deus, a forma preferida de comunicar com o Seu povo é fazê-lo suavemente, e não através de gritos nem de mensagens dramáticas. Em I Reis 19, lemos sobre Elias, que foi usado por Deus numa série de milagres. Depois, estando ele física e emocionalmente exausto, fugiu ao saber que a malévola rainha Jezabel procurava matá-lo. Depois de descansar e ser revigorado, Elias esperou por novas instruções de Deus. Veio, então, um poderoso vento, e depois um terramoto. O versículo 12 diz-nos: «E, depois do terramoto, um fogo; porém, também, o Senhor não estava no fogo; e, depois do fogo, uma voz mansa e delicada.»

Deus escolheu comunicar com Elias com palavras suaves que só um profeta atento poderia ouvir. Para todos nós, no mercado de trabalho, a aplicação é simples: para vendermos o nosso produto ou a nossa ideia, às vezes um sussurro suave é melhor do que um grito. E, se orar a respeito de decisões importantes, talvez Deus só queira que espere pelo Seu sussurro.

Partilha esta Reflexão

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email
“A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.” Provérbios 15:01

Reflexões da Semana é um serviço da ASPEC – Associação de Profissionais e Empresários Cristãos, em colaboração com “CBMC International”. Para mais informações não hesite em contactar-nos.