{ reflexão semanal }

Newsletter nº19 / 2020

Elevar a Fasquia e Exceder as Expetativas

por Robert J. Tamasy

Quando é que foi a última vez em que fez um negócio com alguém e ficou positivamente surpreendido, numa experiência que só poderia ser descrita como: «Uau!» ou «Inacreditável!»?

Talvez tenha sido o representante de um fabricante que tenha ido muito além daquilo que lhe pedira, para se assegurar de que as suas necessidades seriam satisfeitas! Ou, então, um lojista que tenha “caminhado a segunda milha” para garantir a sua satisfação total com a compra! Talvez até um restaurante onde a comida tenha sido excepcional, o ambiente extraordinário, e o serviço recebido — desde o momento de entrada até ao de saída — tenha excedido quaisquer expectativas que pudesse ter!

No mundo actual, tais experiências parecem ser mais a excepção do que a regra. Cada vez mais, ao que parece — em nome da criação de lucro, da tentativa de redução de custos ou, nalguns casos, da pura preguiça —, o serviço além do normal é raro. Em vez de recebermos o «melhor», somos forçados a aceitar o que se supõe ser «suficientemente bom».

Ao longo dos anos, porém, encontrei algumas empresas que faziam do serviço excepcional parte das suas declarações de missão. Lembro-me de uma companhia de transportes que tinha por lema: «O nosso objectivo é exceder as suas expectativas.» Não seria maravilhoso se esta fosse a prática comum, em vez de ser a raridade?

Há várias passagens na Bíblia que falam dessa virtude, realçando quão valiosa pode ser uma atitude de exceder as expectativas. Tudo começa com Deus, o nosso Criador, que deseja ser o nosso modelo de excelência em tudo o que fazemos. Aqui estão alguns princípios que encontramos nas Escrituras sobre exceder as expectativas:

Fazer imensuravelmente mais. De que modo gostaria que os fornecedores de serviços fizessem tudo abundantemente por si — em abundância? É isso que a Bíblia promete que Deus quer fazer por nós — e em nós e através de nós: «Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera […]» (Efésios 3:20).

Lembrarmo-nos d’Aquele a quem servimos. Normalmente, a forma como encaramos o nosso trabalho depende do modo como vemos aqueles a quem servimos. Às vezes, somos tentados a fazer o mínimo necessário para despacharmos o assunto, mas, se tivermos em mente Aquele que, em última instância, irá avaliar os nossos esforços, isso fará uma diferença tremenda na qualidade do nosso trabalho e nas atitudes que definem os nossos esforços. «E, tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor, e não aos homens, sabendo que recebereis do Senhor o galardão da herança, porque a Cristo, o Senhor, servis.» (Colossenses 3:23-24).

Exceder as expectativas, mesmo com aqueles de quem não gostamos. Na maior parte dos casos, estamos dispostos a fazer um pouco mais do que é esperado às pessoas de quem gostamos, bem como aos indivíduos que esperamos que possam retribuir-nos. Mas, e quanto àqueles de quem não gostamos — àquelas pessoas que parecem ter adoptado como missão pessoal fazer com que nos sintamos miseráveis? Jesus deu-nos estas ordens radicais: «Ouvistes que foi dito: “Olho por olho e dente por dente.” Eu, porém, vos digo que não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra; e, ao que quiser pleitear contigo e tirar-te o vestido, larga-lhe também a capa. E, se qualquer te obrigar a caminhar com ele uma milha, vai com ele duas.» (Mateus 5:38-41).

Partilha esta Reflexão

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email
“Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera […]” Efésios 3:20

Reflexões da Semana é um serviço da ASPEC – Associação de Profissionais e Empresários Cristãos, em colaboração com “CBMC International”. Para mais informações não hesite em contactar-nos.