Os nossos artigos

Entrevista a Paulo

O seguinte texto pretende demonstrar a forma como Paulo, apóstolo de Jesus Cristo, empregou alguns dos princípios Cristãos para desfrutar de uma vida bem-sucedida. Foram tomadas liberdades criativas para abordar os temas de conversa com Paulo, que se mantêm fiéis à sua essência e sempre atuais.

Entrevistador: Paulo, um dos principais mistérios da vida humana é tentar perceber o que determina o sucesso de um indivíduo. Um fator muitas vezes mencionado é a riqueza. Acha que isso dá significado à vida?

Paulo: Não concordo, aliás, a essência da plenitude da vida só pode ser encontrada em Deus, que supre todas as necessidades, não apenas as materiais. Antes, o objetivo deve ser sempre a abundância (ou riqueza) em atos que beneficiem os outros. Foi isto que fiz questão de deixar claro nas recomendações a Timóteo. Disse-lhe para aconselhar aos ricos que não colocassem a sua esperança nas riquezas, mas em Deus.

Entrevistador: E a influência, não é uma característica desejável? Afinal, hoje estamos perante uma geração de tastemakers e opinion makers. Trata-se de um jogo de influências, não lhe parece?

Paulo: Sim e não. Há pessoas que consideram que estão a influenciar, mas fazem parte da mesma “roda”. Usam diferentes critérios, diferentes métodos, mas a forma de pensar é exatamente a mesma. Apenas se expressam de maneira diferente.

Para se ser uma influência com impacto neste mundo, devem-se ter também princípios e valores com impacto.

Ao mesmo tempo que devemos marcar a diferença, esta deve ser em consonância com os desígnios de Deus. Não devemos ambicionar um estado de elevada influência, mas antes cultivar a nossa identidade na dependência de Deus. Isso será a evidência de que estamos a ser influência, porque estamos a ser influenciados pelo Criador de todas as coisas.

Não nos devemos conformar com a forma deste mundo funcionar. Ao contrário, ao olharmos para Deus, veremos como temos uma forma de agir que Lhe é agradável e perfeita.

Entrevistador: Mas mudanças efetivas e permanentes, acontecem se for um esforço de grupo, não lhe parece?

Paulo: Sim, apesar das diferenças, deve existir uma convergência de propósito: o florescimento da Humanidade, se formos a falar em termos puramente humanos. E curiosamente, a melhor maneira de o fazermos e expandir o nosso potencial, é seguindo o nosso livro de instruções (risos). Somos humanos, criados por Deus. Mais do que nós próprios, Ele sabe como funcionamos.

Precisamos de levar a cabo os nossos dons, e contribuir com o que cada um tem para dar a este mundo e aos outros, sempre numa perspetiva de serviço! Não há melhor do que servir o outro. Se esta for a mentalidade que formos adaptando, teremos em conta sempre os desejos e vontades dos outros na tomada de decisões.

Entrevistador: O que considera, então, “uma vida de sucesso”?

Paulo: Saber que estamos “bem” com Deus. Isso muda tudo. Eu não posso passar por este mundo escravo dos meus medos e inseguranças, e achar que vou conseguir superar os obstáculos pela minha própria força. Eu posso fazer tudo sim, mas n’Ele, porque assim tudo é possível.

Outro destaque: ter a consciência limpa diante de Deus é fenomenal. Ter os pecados perdoados é incrível. Isso para mim, é o início de uma vida de sucesso. Como ela se apresenta depois, só Ele sabe. Mas é uma vida que tem como objetivo sempre ser o reflexo da Sua grandeza. E isso sim, é ser bem-sucedido.

Partilha este artigo

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.